Portugal formaliza candidatura a centro europeu de combate às ameaças híbridas

cibersegurança portugal

Portugal formalizou oficialmente, na passada sexta-feira, a candidatura ao Centro Europeu de Excelência para Combate às Ameaças Híbridas. Com esta adesão Portugal pretende diminuir a vulnerabilidade perante potenciais ataques e a desinformação.

Segundo Ana Santos Pinto, secretária de Estado da Defesa Nacional, esta adesão “resulta de um processo nacional, em Portugal, de reconhecimento que as ameaças híbridas são uma prioridade e, portanto, tentamos não só adaptarmo-nos do ponto de vista interno, mas aprender com as boas práticas e perceber o que podemos utilizar”.

Criado em 2017 pelo governo finlandês, o centro junta Estados-membros da União Europeia (UE), como Alemanha, Áustria, Chipre, Dinamarca, Estónia, Eslovénia, Espanha, Finlândia, França, Itália, Grécia, Letónia, Lituânia, Holanda, Polónia, República Checa, Roménia, Suécia e Reino Unido. Adicionalmente agrega, membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), como o Canadá, Estados Unidos, Noruega, Montenegro.