Escola sueca paga multa pelo tratamento indevido de dados sensíveis de alunos

Uma Escola Secundária localizada no norte da Suécia teve de pagar uma multa de 18 577€ por ter realizado um teste-piloto a um sistema de presenças baseado no reconhecimento facial.

Neste teste realizado pela escola foram processados dados biométricos que é um dado sensível. Apesar de os alunos terem assinado um formulário de consentimento, A DPA não considerou que esta fosse válida pois existe um desequilibro entre o titular dos dados e o responsável pelo tratamento.

Na Suécia as organizações públicas podem pagar até cerca de 1 milhões de euros.